Harpa

harpA HARPA é um dos instrumentos mais antigos da História da Humanidade. Pertence ao grupo dos instrumentos musicais de cordas dedilhadas e é caracterizada pela sua estrutura triangular, constituída por caixa de ressonância, coluna e consola. Nesta última parte, encontram-se as cravelhas e o mecanismo, no caso da harpa de pedais.

Existem harpas de diversos tamanhos e número de cordas, a Grande Harpa de pedais tem cerca de 1,90 m de altura, do chão ao topo da coluna, e 47 cordas.

No final do séc. XVII, é desenvolvido o sistema de movimento simples de pedais, que permite a subida de meio tom a cada nota, esta harpa era normalmente afinada em Mib Maior, para permitir a execução do maior número de tonalidades. No final do séc. XVIII, é patenteada por Erard a harpa que se toca atualmente, com o sistema de movimento duplo dos pedais, permitindo ter em cada nota os sons bemol, natural e sustenido.

No presente, a Harpa, é um instrumento que continua a ser explorado nas suas inúmeras potencialidades sonoras e estéticas, desde a música erudita à música electrónica.


Para ouvir:

excerto de J. S. BACH (1685-1750), Concerto Italiano, BWV 971, 1º andamento (transc. para harpa)
excerto de B. SMETANA (1824-1884), “Moldávia” (arr. para harpa solo)
C. DEBUSSY (1862-1908): Arabesco Nº 1 para flauta e harpa
P. GLASS (n. 1937), “Modern love waltz” para harpa solo

 

Save

Save