Piano

O PIANO foi construído por Bartolomeo Cristofori em Florença, Itália, em 1709. Apresenta diferentes intensidades, sons fracos e fortes (em italiano piano e forte) que deu origem ao nome pianoforte. Com o passar do tempo, o instrumento passou a designar-se piano. Há dois tipos de piano: o piano de cauda e o piano vertical. Os pianos de cauda tem a armação e cordas na horizontal. Os pianos verticais, a armação e as cordas estão na vertical. Naturalmente, o som é diferente porque no piano vertical os martelos movem-se de lado, em vez de cima para baixo.

pianoCada oitava tem doze teclas. As cordas são em aço para os agudos e revestidas a cobre para os graves (bordões). Cada martelo percute três cordas nos médios e agudos, dois bordões nos médios-graves e um único bordão, bastante grosso no extremo grave. Por baixo das cordas (no piano de cauda, ou atrás das cordas no piano vertical) encontra-se o tampo harmónico. Atualmente todos os pianos são construídos com as cordas cruzadas o que permite um maior comprimento das cordas e um melhor aproveitamento do tampo harmónico.

Nos pianos de cauda mais modernos encontramos normalmente três pedais. O pedal direito, o chamado “pedal” é o mais usado. Todas as notas do piano tem um amortecedor que previne a vibração das cordas, este é levantado sempre que uma tecla é tocada. Quando o pedal direito está a ser usado todos os amortecedores do piano são levantados e as cordas vibram. O pedal esquerdo, una corda, move ligeiramente os martelos para o lado esquerdo, e estes percutem uma corda em vez das três. O pedal sostenuto, pedal do meio, permite prolongar apenas uma nota, ou várias notas, enquanto o pedal estiver em baixo, mantém levantados apenas os abafadores que já se encontravam desencostados das cordas quando carregamos neste pedal.


Para ouvir:

J. BRAHMS (1833-1897) Concerto para piano e orquestra N.º 1, em ré menor, Op. 15, 1º andamento
F. CHOPIN (1810-1849): Nocturno , Op. 15/ 2, CT 112
Sérgio AZEVEDO (n. 1968), Sonatina N.º 3 para piano, 1º andamento

Save

Save